quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Erdinger Pikantus Weizenbock com Porchetta




Clássico prato Italiano aparece por aqui. A inigualável, suculenta e rústica PORCHETTA!!! Usamos aqui a famosa barriga de porco, tão famosa pelos bacons e torresmos da nossa vida. Mas segundo o Chef André Mifano, podemos também chamar de Pancia di Maiale (barriga de porco em Italiano), para não assustar os amigos da geração saúde. Ela é recheada, enrolada, amarrada e assada lentamente.

É daquelas coisas que quando sai do forno, com a pele pururuca e aquele aroma que inunda a casa dos vizinhos você apenas sorri e sente orgulho. Um prato festivo na Itália, para reunir a família à mesa e passar bons momentos, pelo menos esse é o propósito. Aqui geralmente meu irmão termina a refeição antes de eu acabar a salada.  O recheio varia de acordo com a região da Bota. O que fiz então foi juntar o que eu preferia de cada região na receita, claro que você pode variar também!

Para harmonizar, apelei para bock. Enfatizo novamente essa harmonização de bock com carne de porco. Aqui vá de weizenbock ou doppelbock, pois o prato é bem intenso e requer uma cerveja mais forte. Eu escolhi uma weizenbock, pois no meu recheio eu usei muitas uvas passas, o que faria mais um elo na harmonização.



Porchetta:

•    1 Barriga de Porco inteira (4 a 5 kg) aberta em borboleta
•    Sal e Pimenta do Reino
•    1 colher sopa de sementes de erva doce(opcional)
•    5 dentes de alho em laminas
•    3 fatias de pão de forma sem casca esmigalhados (ou farinha de rosca)
•    100 g de uvas passas
•    1 cebola picadinha
•    Suco e respas de 2 limões sicilianos
•    Algum embutido de sua preferência (mortadela/calabresa/salame) picado
•    150 ml de vinho tinto
•    Punhado de tomilho
•    Punhado de Alecrim picadinho
•    Alguns ramos de salsa
•    5 cenouras cortadas no sentido do comprimento
•    Azeite q.b
•    Barbante

Em um pilão bata o sal com a semente de erva doce. Espalhe pela porchetta junto com pimenta, alecrim, tomilho e 50 ml de vinho tinto. Massageie bem e deixe marinar por 30 minutos no mínimo. Enquanto isso, em uma travessa, misture o embutido, as raspas de limão, os pães esmigalhados, as uvas passas e a cebola. De o ponto com o suco de limão. O ideal é que fique homogêneo, mas não muito liquido. Pré aqueçar o forno no máximo (250 graus) Após os 30 minutos, despeje as lâminas de alho na barriga de porco, por cima espalhe o recheio e os ramos de salsa. Feche as “asas” e enrole a porchetta. Amarre com o barbante por toda extensão, dando nós fortes. Em uma assadeira larga,  faça uma cama com as cenouras e coloque a porchetta por cima. Despeje bastante azeite e o resto do vinho por cima da pele e assageie. Adicione sal. Leve ao forno, no momento que fechar a porta, abaixe a temperatura para 180 graus. Deixe assar por  3 ½  horas  a 4 horas ou até a pele ficar crocante, regando sempr (a cada 45 min). Retire e sirva.



É muito difícil conseguir pururucar a pele. Eu também passei por isso, e já tentei inúmeras técnicas (cachaça, óleo fervendo, fritar a pele depois, etc...) mas minha conclusão após muita dor de cabeça é que na verdade o que realmente é necessário é um bom forno, secar bem a pele e uma temperatura bem alta. Desde que passei a usar o forno novo, não tive problemas.

O adocicado do malte se mistura muito bem com a carne assada lentamente criando um sabor inesquecível. Você curte tanto que acaba comendo demais. As frutas passas também contribuem e a carbonatação e corpo da Erdinger são perfeitos para a intensidade do prato.


Homenagem a duas belas cervejas!


abraços

5 comentários:

  1. Puta merda! Fiquei com água na boca!
    Com uma Pikantus acompanhando, melhor impossível!

    ResponderExcluir
  2. Como que é ela aberta em borboleta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta schwan. Faça incisões com a faca nas partes mais grossas dela. Mas sem separa a carne. Imagine que você está criando uma aba de cada lado da barriga.

      Se não ficou claro é só perguntar blz!

      abraços

      Excluir