quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Visita à Cervejaria Heineken



Segunda feira, 03 de dezembro de 2012, um belo grupo de entusiastas da cerveja teve a oportunidade de conhecer a Fábrica da Cervejaria Heineken em Jacareí, São Paulo.

Fomos muito bem recebidos no auditório da Cervejaria, onde conhecemos todo o portfólio da cervejaria no País e recebemos breve explicação sobre o funcionamento da fábrica, bem como algumas curiosidades sobre a cerveja Heineken. A Cervejaria Heineken é responsável hoje pela produção das cervejas nacionais Kaiser, Bavária, Xingu e Sol.

Algumas curiosidades:

O período de fermentação mais maturação das cervejas fabricadas pela cervejaria é de 15 dias, com exceção da cerveja Heineken que é de 35 dias e da Kaiser Bock, 22 dias.

A Heineken é a única que fermenta e matura em tinas deitadas, ou seja, na horizontal. O motivo é para ampliar a superfície de exposição ao ar.

A Cerveja Heineken utiliza a mesma cepa de levedura desde a sua primeira fabricação. Conhecida como Levedura A (A Yeast).

O famoso barrilzinho da Heineken (5 litros) tem seu sistema patenteado pela marca e é produzido somente na Holanda. O Barril de Kaiser agora é produzido com o mesmo sistema também na Holanda. Conta com uma cápsula de CO2 que deixa a espuma mais densa e cremosa, assemelhando-se ao chope.

A Cervejaria Heineken conta com 850 análises de controle de qualidade para todos os seus produtos.

Depois fomos conhecer a cervejaria propriamente dita. Foi a primeira vez que tive contato com algo desse porte. As tinas de fermentação são gigantescas, assustadoras. A área de envasamento deve caber pelo menos umas 15 microcervejarias. 



Parte inferior das tinas.

Parte superior das tinas.

Laboratório de Analises.

Controle de qualidade.

Área de envase.


A Fábrica ainda conta com um laboratório de análises e uma área de reparo dos equipamentos (essa área parece Box de F1).

No final tivemos uma degustação guiada por um dos maiores nomes da cerveja no Brasil, o meu mestre e professor Alfredo Luiz Barcelos.

Não pode faltar o chope na teta da vaca!


Um dia de muito aprendizado. Sem dúvida.

3 comentários:

  1. Marcelo Augustineli13 de dezembro de 2012 21:14

    Que daora! Parabéns mano!

    ResponderExcluir
  2. Foi bem legal. É sempre bacana vermos os "dois lados da moeda".
    Tem uma frase de um importante microcervejeiro americano (Jim Koch) que diz: "Uma pessoa pode passar a vida inteira tomar uma coors, uma millers, ou uma bud, e nunca pegar uma ruim ou diferente, mas o mesmo vale para a cerveja artesanal."
    Para ele a definição de qualidade é quando o produto final está em conformidade com o que você planejou quando você o fez. A intenção dessas cervejarias é sempre fazer uma cerveja bem leve, refrescante e com alta "bebabilidade". Não é fácil fazer uma cerveja assim, e eles conseguem fazer com maestria, pois é muito consistente.

    Por isso que eu digo, existe bolso e objetivo para tudo na vida.

    Valeu pessoal.

    Abraços

    ResponderExcluir